segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Nova Associação de Estudantes

Estão abertas as inscrições para a nova Associação de Estudantes 2008/2009 do Conservatório.
Os interessados deverão formar uma lista e entregar os respectivos nomes na secretaria até dia 4 de Outubro 2008.

Inscrevam-se e façam valer a vossa aptidão para o dinamismo!

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Professores no Campeonato do Mundo de Medalhistas 08 - Montreal - Canada


Os Professores Hugo Romano e Carla Pinto, par 467, receberam o orgulhoso convite da APPDSI (Associação Portuguesa de Professores de Dança de Salão Internacional) para representam Portugal no próximo mês de Setembro, em Montreal no Canadá no prestigiadíssimo CAMPEONATO do MUNDO de MEDALHISTAS.
Este convite vem premiar o excelente trabalho e os fabulosos resultados obtidos durante toda a carreira com dançarinos, mas especialmente os conquistados no ano de 2007.

PARABÉNS!!!!


Cristiana Coelho

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

segunda-feira, 30 de junho de 2008



Olá malta!
A A.E está a organizar um jogo de paintball para o convivio das orquestras do conservatório dia 19 de Julho.
Os interessados em participar deverão enviar o seu nome e contacto para o email da a.e, ou então contactar algum dos membros da A.E. Participem!!!


15€ por pessoa (150 bolas)
ae.cvs13@gmail.com

Publicado por: Cristiana Coelho

terça-feira, 10 de junho de 2008

A música e o desenvolvimento cognitivo da criança



Inúmeras pesquisas, desenvolvidas em diferentes países e em diferentes épocas, particularmente nas décadas finais do século XX, confirmam que a influência da música no desenvolvimento da criança é incontestável. Algumas delas demonstraram que o bebê, ainda no útero materno, desenvolve reações a estímulos sonoros.

Schlaug, da Escola de Medicina de Harvard (EUA), e Gaser, da Universidade de Jena (Alemanha), revelaram que, ao comparar cérebros de músicos e não músicos, os do primeiro grupo apresentavam maior quantidade de massa cinzenta, particularmente nas regiões responsáveis pela audição, visão e controle motor (apud SHARON, 2000). Segundo esses autores, tocar um instrumento exige muito da audição e da motricidade fina das pessoas. O que estes autores perceberam, e vem ao encontro de muitos outros estudos e experimentos, é que a prática musical faz com que o cérebro funcione “em rede”: o indivíduo, ao ler determinado sinal na partitura, necessita passar essa informação (visual) ao cérebro; este, por sua vez, transmitirá à mão o movimento necessário (tato); ao final disso, o ouvido acusará se o movimento feito foi o correto (audição). Além disso, os instrumentistas apresentam muito mais coordenação na mão não dominante do que pessoas comuns. Segundo Gaser, o efeito do treinamento musical no cérebro é semelhante ao da prática de um esporte nos músculos. Será por isso que Platão já afirmava, há tantos séculos, que a música é a ginástica da alma?

Outros estudos apontam também que, mesmo se o contato com a música for feito por apreciação, isto é, não tocando um instrumento, mas simplesmente ouvindo com atenção e propriedade (percebendo as nuances, entendendo a forma da composição), os estímulos cerebrais também são bastante intensos.

Ao mesmo tempo que a música possibilita essa diversidade de estímulos, ela, por seu caráter relaxante, pode estimular a absorção de informações, isto é, a aprendizagem. Losavov, cientista búlgaro, desenvolveu uma pesquisa na qual observou grupos de crianças em situação de aprendizagem, e a um deles foi oferecida música clássica, em andamento lento, enquanto estavam tendo aulas. O resultado foi uma grande diferença, favorável ao grupo que ouviu música. A explicação do pesquisador é que ouvindo música clássica, lenta, a pessoa passa do nível alfa (alerta) para o nível beta (relaxados, mas atentos); baixando a ciclagem cerebral, aumentam as atividades dos neurônios e as sinapses tornam-se mais rápidas, facilitando a concentração e a aprendizagem (apud OSTRANDER e SCHOEDER, 1978).

Outra linha de estudos aponta a proximidade entre a música e o raciocínio lógico-matemático. Segundo Schaw, Irvine e Rauscher (apud CAVALCANTE, 2004) pesquisadores da Universidade de Wisconsin, alunos que receberam aulas de música apresentavam resultados de 15 a 41% superiores em testes de proporções e frações do que os de outras crianças. Em outra investigação, Schaw verificou que alunos de 2a. série que faziam aulas de piano duas vezes por semana, apresentaram desempenho superior em matemática aos alunos de 4 ª série que não estudavam música.

Enfim, o que se pode concluir a esse respeito é que efetivamente a prática de música, seja pelo aprendizado de um instrumento, seja pela apreciação ativa, potencializa a aprendizagem cognitiva, particularmente no campo do raciocínio lógico, da memória, do espaço e do raciocínio abstrato.

Publicado por: Cristiana Coelho

domingo, 18 de maio de 2008



Liberdade

Sérgio Godinho

Composição: Sérgio Godinho

Viemos com o peso do passado e da semente
Esperar tantos anos torna tudo mais urgente
e a sede de uma espera só se estanca na torrente e a sede de uma espera só se estanca na torrente
Vivemos tantos anos a falar pela calada
Só se pode querer tudo quando não se teve nada
Só quer a vida cheia quem teve a vida parada
Só quer a vida cheia quem teve a vida parada

Só há liberdade a sério quando houver

A paz, o pão
habitação saúde, educação
Só há liberdade a sério quando houver
Liberdade de mudar e decidir quando pertencer ao povo o que o povo produzir quando pertencer ao povo o que o povo produzir

quarta-feira, 7 de maio de 2008

A certeza da influência que a música exerce no comportamento e ideais dos homens não é recente. Aristóteles tinha plena convicção de que a música suscitava fortes emoções e que permitia a liberação das tensões. Na Grécia Antiga, o seu povo tocava cítara para acompanhar as refeições a fim de ajudar no processo digestivo. Confúcio foi um dos grandes defensores da música criteriosa. Ele tinha plena certeza de que a música exercia uma influência marcante na vida de um povo

A música é a forma que o homem tem para expressar seus pensamentos, sentimentos e emoções.